26 de novembro de 2007

Dá pra parar de amar? Obrigado.

Sabe aquela coisa anos 70, paz e amor? Make love, not war? Então. Esquece. Pára tudo. Que saco! Anos 70 pra sacola, estamos nos anos 2000, os emos dominam a indústria fonográfica e não dá mais pra falar de amor ou dor de cotovelo sem soar emo piegas. Ou tem? Depende, eu acho. As músicas tem contexto, né? Letra, melodia, voz.

Pois sim. Temos aqui em mãos, em primeira mão, a versão final de "Anti-Love Song", a obra prima dos Duques, banda carioca que consegue me encantar mesmo em tempos de "não tenho saco pra bandas novas, muito menos de conhecidos".

Impressões sobre a música
Tem um quê de rockabilly, surf music, essas coisas assim. Aí entra o vocal rrrrrock com direito a eco (tem alguma banda muito legal que usou esse recurso... tá, tem várias e não consigo lembrar nenhuma) no final de cada verso. A letra, na verdade é uma frase só, mas, impressionantemente, não soa repetitivo. E pelo menos cantado, o carioquês fica disperso e soa muito bem. No final ainda tem um balacobaco aí que eu achei que soaria bizarro, mas não, encaixa. Só não consigo entender direito o que diabos o cara lá fala. É meio que uma pregação muito zoneada... Eu ouço um "aleluia" no meio. E, diz que tem alguma coisa de cultura no meio. Então tá.

Baixa e ouve (upado no Badongo). Me diz o que achou. (tenho autorização da banda pra disponibilizar o download, viu? tudo direitinho.)

Pra quem quer ouvir antes de baixar, tá aqui:


A banda

Adoro as fotos deles porque, embora a sonoridade não tenha a ver, eles tem essa pose meio Los Hermanos. É a barba. E ainda tem um lance muito legal de se vestir direitinho. Check 'em out:



Pra quem gostar dos rapazes, checa o MySpace deles. Faz amizade, cara. Eles são legais. E tem fotolog também.

Um comentário:

Dj Davinci disse...

eu achei a sonoridade super-los-hermanos.

by TemplatesForYou-TFY
SoSuechtig, Burajiru