14 de abril de 2008

Empurrando margaridas


Falemos de Pushing Daisies. Pra começar, digo logo que quem gosta da estética e da narrativa de "O Fabuloso Destino de Amelie Poulain", vai cair de amores por essa série americana da ABC. Também acho que tem um quê de Tim Burton na história, dado o realismo fantástico da plote. É tudo muito colorido, bonito, poético, dramático, engraçado e dinâmico. Adjetivos mais do que suficientes pra fazer qualquer um assistir pela primeira vez.

A história é a seguinte: Ned, ainda criança, descobre que tem o dom de trazer os mortos de volta a vida com um toque. Óbvio que não é simples assim. Toca uma vez, traz de volta a vida, toca de novo, morre pra sempre. E tem um detalhe básico: se o morto passar mais de um minuto vivo, outra vida será levada. Ele cresce, abre uma lojinha de tortas e passa a vida meio recluso até que começa a usar seu dom para ganhar recompensas em casos não resolvidos com um detetive particular como parceiro. Uma das primeiras missões de Ned é Charlotte Charles, a ex-vizinha que ele não via desde criança. Ela é trazida de volta a vida e fica por isso mesmo. Os dois se gostam, mas não podem se tocar. Senão, Chuck (apelido da moça) morrerá novamente para todo o sempre. E a partir daí as histórias se desenrolam.

O ator principal, que interpreta Ned, se chama Lee Pace e é tudo de bom. Ele é bonito de um jeito super nerd que fica muito fofo. Apaixona, cara. Sério. E a Chuck, vivida pela Anna Friel é ótima. Super espontânea e espevitada. Dá um charmezinho a mais na bagaça toda.

A série tá sendo exibida pela Warner Channel, toda quinta, lá pelas 21h. Deve estar pelo segundo episódio. Pra quem não tem paciência de ver pela TV, clica aqui e baixa via Orkut.

Eu gostei tanto da série e da estética, da proposta, dos atores e tudo mais que mudei o papel de parede do meu computador. Tem lá no site oficial. É lindo. E olha que eu sou dessas pessoas não adeptas a papel de parede. Normalmente fica tudo cinza.

Só mais uma foto dele e do cachorro, o Digby:



E, gente, depois que vocês virem a série e concordarem comigo em gênero, número e grau, indico que vejam esse trailer de um filme que o Lee Pace fez para a TV estadunidense antes de Pushing Daisies. Ele é o cara vestido de mulher. Fico choca com povo que é ator de verdade e muda a cada papel. Acho que ele tem tudo pra ser o novo Zach Braff.


Wiki de Pushing Daisies
Site Oficial ABC
Site Oficial Warner

Seriado indicado pela Kehzona, que não atualiza o blog dela desde o Ano Novo. Toma vergonha na cara, mulher!

5 comentários:

Jaque disse...

Mujer, não aguento mais ouvir, ler sobre essa série, se está até aqui, alguma coisa de boa deve ter. E o motivo para eu ignorar a dita é o fato de tudo mundo compará-la ao filme da Amélie( que me dá nos nervos, ninguém é tão chata assim, só perde para a Polianna e o Jogo Do Contente)!
Vou deixar meu mau humor e ver qual é.

Julio disse...

quero muiiito ver a série,pena que nao tenho tv a cabo e preguiça\ de baixar ahuhuahahuhuahuahu mimimi

mas parece ser foda e esse ensaio eh do la chapelle?

Eduardo Iribarrem disse...

eu fiquei curioso, quero ver!

Jul!o disse...

Nunca ouvi falar, mas se a estetica é tão parecida com Amelie Poulain, deve ser realmente boa

=P

maaaaaari disse...

eu vi o primeiro episódio na warner(preguiça-mor de baixar), e amei a fotografia. eu também tenho um abuso da amélie poulain, acho ela meio retardadinha, mas gostei da série, talvez por causa dos toques burtonianos, adoro.

e achei o lee pace tudibão. não resisto ao jeitinho tímido.

by TemplatesForYou-TFY
SoSuechtig, Burajiru